II edição da Caravana das Prerrogativas visita mais três subseções


17.12.13

A Caravana das Prerrogativas visitou, nesta terça-feira (17), as cidades de São Sebastião do Caí, Montenegro e Estrela. A iniciativa, que está na segunda edição, percorrerá, novamente, as 106 subseções do Estado, recolhendo informações sobre eventuais dificuldades que os advogados estejam enfrentando no exercício da profissão no que diz respeito à violação de prerrogativas.

Conforme o presidente da Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas da OAB/RS, Eduardo Kucker Zaffari, este trabalho é fundamental para que a entidade consiga agir de maneira pontual e rápida em cada caso que afronte as prerrogativas dos advogados. “Com esse projeto pioneiro da OAB/RS, que foi seguido por diversas seccionais do País, reforçamos aos advogados de todo o Estado, que não aceitaremos qualquer tipo de desrespeito às nossas prerrogativas”, afirmou Zaffari.

Confira mais detalhes sobre as reuniões:

São Sebatião do Caí

Logo no início da manhã, a Caravana chegou à subseção de São Sebatião do Caí, onde foi recebida pelo presidente da OAB local, Marcelo José Machado Volkweiss.

No encontro, Zaffari destacou sobre o trabalho do plantão da CDAP e da Procuradoria de Prerrogativas. “Pelo telefone, qualquer advogado que tiver suas prerrogativas violadas, poderá solicitar auxílio, pois agimos de forma rápida em prol dos profissionais”, reforçou.

Montenegro

Em Montenegro, o presidente da OAB local, Sepé Tiaraju Rigon de Campos, recepcionou a Caravana. Zaffari ressaltou a importância das subseções instaurarem a Comissão, pois assim, os eventuais desrespeitos serão sanados de forma mais breve.

O presidente da CDAP também explicou o trabalho desenvolvido ao longo deste ano, e como a iniciativa pioneira da Caravana das Prerrogativas tem servido para conscientizar sobre a importância do respeito ao pleno exercício profissional.

Estrela

Já no final da tarde, a Caravana das Prerrogativas chegou à subseção de Estrela, onde o presidente local, Daniel Horn, a recebeu. Também esteve presente o presidente da subseção de Lajeado, César Adriano Antoniazzi.

Na ocasião, os advogados relataram a falta de urbanidade de alguns magistrados, a preocupação com o atraso de pagamento de RPVs da Justiça Federal da 4ª Região, por falta de repasse do Governo Federal. Também foi destacada a falta de cumprimento do prazo de entrega de autos, por parte de alguns procuradores do Estado. Outra queixa foi que o Ministério Público exige que seja feito um pedido por escrito, para que os advogados façam cópias e tenham acesso aos processos, tendo que esperar o promotor liberar. Os advogados que atuam no INSS, por sua vez, apontaram que nas agências, para cada procedimento, deve-se pegar uma ficha de atendimento.

Juliana Jeziorny
Jornalista – MTB 15.416